• W H T V R
  • W H T V R: A extinção das gyaru e o genderless kei

    visual-kei-gyaru-genderless-kei-japan-style-fashion-blog-4

    As ruas de Harajuku parecem estar aposentando um de seus movimentos mais coloridos e excêntricos. O estilo gyaru, que já foi uma associação quase instantânea à moda japonesa desde a década de 90 até os primeiros anos do novo milênio, está com os seus dias contados. As peças saturadas de cor, acessórios extravagantes e maquiagem forte bateu de frente com a tendência aesthetic, suave, cheia de tons pastéis e com uma pegada de 90’s, o mesmo apelo estético do novo hot trend, o genderless kei.

    A expressão através da moda sempre foi um prato cheio para a cultura nipônica, repleta de tendências e modismos que o resto do mundo nunca conseguiu acompanhar – muito menos entender. Os streetstyle decora, com acessórios super fofos, passando pelas lolitas e seu rococó francês, chegando na maquiagem pesada do shironuri, são alguns estilos de força incontestável. Durante a década passada, as gyaru eram vistas em grande número em distritos populares de Tóquio, como Harajuku e Akihabara. Mas, desde o fechamento das principais revistas sobre o tema, a egg e Koakuma Ageha em 2014, é quase impossível encontrá-las. Se até mesmo Natsumi Yoshida, uma das modelos mais importantes e requisitadas, considerada a personificação da alma gyaru, abandonou a pele alaranjada e os contornos em branco, o fim de uma era já estava por vir.

    visual-kei-gyaru-genderless-kei-japan-style-fashion-blog-3

    As tendências, as revistas, a mídia japonesa, a mídia internacional, as redes sociais, e, bom, quase todo mundo sempre deu mais spotlight para as garotas. Ainda que o genderless kei possa ser aplicado para ambos os sexos, por enquanto, os boys têm tido muito mais destaque. Eles não sentem vergonha do seu lado kawaii, posam com duck face e se apropriaram de um segmento da moda quase que exclusivamente voltado às adolescentes japonesas. Não são crossdressers, a maioria não é gay e não estão querendo se passar por mulheres. Eles querem se expressar através de um estilo que transcende a limitação de gênero de forma colorida e divertida.

    A popularidade dos looks andróginos tiveram ascensão quase instantânea depois dos desfiles apresentados na Tokyo Girls Collection 2015 Outono/Inverno. Na passarela, em certos momentos, as modelos quebraram a barreira entre os gêneros, desfilando peças de diferentes comprimentos sem um apelo feminino e delicado, geralmente visto nas coleções. No Tumblr, forte termômetro de aprovação (ou reprovação) das subculturas adolescentes, não demorou muito para perceber que a nova febre estava tomando a dashboard. Enquanto no Instagram, perfis voltados para o trend rapidamente ganharam reconhecimento – além de alguns milhares de seguidores e curtidas.

    マイマイテレフォン📲🌈💜✨✨ぷぷぷ!!

    Uma foto publicada por りゅうちぇる (@ryuzi33world929) em

    Dentre os genderless boys que seguem a linha kawaii, Ryucheru é o mais popular. Ele ficou conhecido por namorar a modelo Peco, que também é super famosa nas redes sociais. Com mais de 140mil seguidores no Instagram, seu estilo é cheio de roupas coloridas, maquiagem leve, cabelo em constante descoloração e uma faixa na testa.

     

    Blueな気分💙❄️🎠☁️💤

    Uma foto publicada por S͜͡A͜͡T͜͡O͜͡Y͜͡U͜͡P͜͡I͜͡ (@fuwafuwabubbub) em

    Apesar de Satoyupi não ter alcançado grandes números nas redes sociais, ele é um bom exemplo de que esse estilo não se limita a pessoas que sejam referência na moda. Ele é um cara normal que entrou para o #GenderlessTeam.

     

    Yohdi Kondo tem 24 anos e é uma das grandes figuras de Harajuku. Por conta do seu estilo, já estampou diversas capas de revistas adolescentes, o que acabou ajudando a alavancar a sua carreira como cantor. Além de ser chamado de a “versão masculina da Kyary Pamyu Pamyu“, Yohdi é considerado o líder do movimento por ter sido uma das primeiras celebridades a aderir ao estilo.

     

    mima color / bloc

    Uma foto publicada por とまん from XOX (@_sweatm) em

    Além de ter uma vida agitada como modelo, Toman é um dos integrantes da banda XOX (Kiss Hug Kiss). A inspiração para construir o seu visual veio de Yohdi, que, por sinal, é seu amigo. Sendo uma celebridade e referência de estilo, Toman geralmente é perguntado sobre o conceito por trás da subcultura. Em uma entrevista para a ModelPress ele falou sobre genderless kei:

     

    O cabelo extravagante, lentes coloridas, roupas de mulher e sapatos plataforma: isso é o que os genderless boys têm em comum. Além do fato de que usamos maquiagem e temos uma estética sofisticada. Apesar disso, não acho que eu esteja nesse grupo. Eu acho que faço parte por conta das pessoas a minha volta, constantemente dizendo que eu pertenço a esse grupo. Nós só vestimos o que gostamos e, a partir disso, a coisa se espalha naturalmente.

     

    Mesmo que seja bastante novo no Japão, a popularidade do genderless kei é impressionante. A adição de novas e importantes personalidades ao estilo, pode não só engrandecer o movimento, mas também trazer a oportunidade de repensar a moda voltada a um único gênero. (seria bem legal ver mais mulheres participando do movimento <3) Seja como for, estou ansiosa para ver o que esse estilo tem para apresentar ao mundo.


    Fontes: i-DMedium1 | Medium2 | Japan Today